1 de ago de 2009

Japão


É um fato revoltante. Principalmente devido à suposta evolução e esclarecimento da espécie humana frente às outras, que teima em dizer que somos, de alguma forma, superiores às outras.

A questão é que o Japão é infame e notoriamente conhecido pela liberação descarada, amparada por sua constituição arcaica, da caça e matança de baleias e golfinhos. Todos os anos, milhares de membros dessa espécie são assassinados sem qualquer ética, usando, contra seus opositores mundiais, a premissa de que faz parte de sua cultura ancestral.

Mas a verdade é bem mais terrível que isso. Nela, consta o fato de que milhares de animais são mortos ou por pura diversão de caça, ou para suprir um nicho gastronômico japonês que é, sabido, uma real minoria. Golfinhos e baleias, que escapam de embarcações destinadas a sua caça predatória e desleal, são atraídos à praia e pisoteados, esfaqueados, mortos a tiros e destroçados simplesmente pela diversão popular contida na ação.

E não importa quantas pressões tenham sido feitas pela comunidade ecológica e de preservação mundial. O governo japonês continua afirmando que, por ser parte de um hábito enraizado na cultura nacional (o que é uma mentira absurda), não pode ou não quer mudar suas leis a respeito.

O que não faz com que a pressão externa (e interna, sendo que a grande maioria no Japão também desaprova essa prática) diminua.

Nesta posatgem falo sobre o filme "Te Cove". Nele, que deve sair entre o final deste ano e início do próximo, é mostrada a realdade nua, crua e desalmada dos assassinatos de animais. Coisa pra botar todo mundo na real, e angariar mais vozes no movimento para deter isso.

The Cove é feito por um grupo de ativistas ecológicos (entre eles, Ric O'Barry, da extinta série de TV "Flipper"), e visa mostrar ao mundo (inclusive ao público japonês), o resultado desse sangrento "ciclo cultural anual".

A fonte desta notícia está neste link, e espero que todos que puderem, quiserem ou desejarem, ajudem a divulgar uma onda cada vez maior de influência, para deter esses crimes.

Toda ajuda, como sempre, é essencial. Muito bem a todos os Flippers.

3 comentários:

  1. Revolante essa imagem, o homem ainda não percebeu para onde estamos indo se continuarmos assim? Abraços

    ResponderExcluir
  2. Lamentável que esses absurdos ainda aconteçam. Só mesmo Deus para ajeitar essas atroxidades.
    A paz

    ResponderExcluir
  3. Victor falou muito bem. A humanidade sempre se considerou acima de todas as espécies, a mais desenvolvida, inteligente e etc. Mas de ver como destruímos vida, flora, fauna e tudo no que tocamos, em nosso mundo, não contradiz exatamente essa suposição?

    É um filme que, espero, abra os olhos do mundo um pouco mais. E, espero mais ainda, ajude a mudar as leis que permitem essa atrocidade.

    ResponderExcluir